Distribuição espacial das communidades terapêuticas

Síntese do Survey das Comunidades Terapêuticas

Distribuição espacial das communidades terapêuticas

Síntese do Survey das Comunidades Terapêuticas

Resumo

Desde 2011, por força das determinações do Plano “Crack: é possível vencer”, o Governo Federal, através da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – SENAD, financia vagas em Comunidades Terapêuticas (CTs), para pessoas com transtornos decorrentes do uso de substâncias psicoativas (SPAs). Em 2014, esta Secretaria solicitou ao IPEA a realização de uma pesquisa sobre estas entidades, tendo em vista reunir informações que permitissem o aperfeiçoamento dos processos de monitoramento e avaliação deste financiamento. O esforço de investigação buscou reunir um conjunto de dados quantitativos e qualitativos sobre as práticas das CTs, assim como suas condições físicas e materiais de acolhimento; seus trabalhadores e dirigentes; e, em pequena medida, seus acolhidos. A pesquisa de natureza quantitativa, consiste de um survey junto a uma amostra de 500 unidades, extraída de um cadastro com quase 2.000 CTs. Embora não se pudesse assegurar que este cadastro continha a totalidade das CTs operantes no Brasil, nos anos em que a investigação se realizou (2014/2015/2016), considerou-se, para efeito deste estudo, que este era representativo do universo destas entidades no país.

Data
Local
Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA. Brasília, Brasil

A seguir alguns recusos adicionais para quem estiver interessado em obter mais informações sobre os resultados dessa pesquisa.

- [*Comunidades terapêuticas e a disputa entre modelos de atenção e cuidado a usuários de droga*](http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8883/3/ComunTerapDrogas.pdf)
- [*Comunidades terapêuticas: temas para reflexão*](http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/190103_comunidades_terapeuticas.pdf).